Apresentado Portugal de Lés-a-Lés 2016
Hoje é Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018

Apresentado Portugal de Lés-a-Lés 2016

Já abriram as inscrições para mais uma edição da maior maratona mototurística da Europa

Apresentado Portugal de Lés-a-Lés 2016A apresentação oficial da edição de 2016 do Portugal de Lés-a-Lés desvendou algumas das surpresas da maior maratona mototurística da Europa . No Luso, a Federação de Motociclismo de Portugal (FMP) revelou as linhas mestras do percurso que vai ligar Albufeira a Vila Pouca de Aguiar, com passagem pelo Luso/Bussaco, e abriu as inscrições para a 18.ª edição do evento.

PUB

Mais de três centenas de motociclistas marcaram presença no Grande Hotel do Luso para conhecer em pormenor os caminhos da travessia à moda antiga que mobiliza todos os anos uma enorme caravana na ligação de dois extremos de Portugal Continental. O trajecto da grande aventura, agendada para 9 a 11 de Junho, está praticamente definido e quase pronto a dar forma ao “road-book”, cada vez mais elaborado e completo e que encerra a primeira grande novidade do ano, mantendo formato de livro mas agora integralmente a cores, assumindo-se como um documento que vale a pena guardar para voltar mais tarde.

A aventura organizada pela Comissão de Mototurismo da FMP atinge este ano a maioridade, mas, segundo a organização, mantém o original espírito de descoberta mototurística, fidelidade que começa logo na quilometragem, rondando o milhar de quilómetros por estradas nacionais, municipais e até alguns caminhos de terra batida, sem tocar em auto-estradas, ex-SCUT, Itinerários Principais ou Complementares. No total são 940 quilómetros repartidos por um prólogo, curto de 70 quilómetros, pelas praias e esplanadas de Albufeira, antes da longa tirada até ao Luso/Bussaco. Com 540 quilómetros de extensão, em dia que promete ser bem comprido, antecipando ligação bem mais curta, de 330 quilómetros, até ao concelho de Vila Pouca de Aguiar, mas de cariz vincadamente turístico.

Estes são traços gerais do trajecto da grande aventura, que conta com o apoio da BMW, BP e Dunlop, e abriram o apetite para as primeiras inscrições, que permitem um lugar na dianteira da enorme e heterogénea caravana. Cerca de 300 motociclistas não perderam tempo e inscreveram-se de imediato, em processo que continuará após 8 de Fevereiro, através da página oficial da Federação de Motociclismo de Portugal, com preço inalterado comparativamente aos últimos anos (135 euros), a que se junta o importante e obrigatório Cartão de Motociclista (25 euros), que, entre várias vantagens, oferece seguro de acidentes pessoais, válido ao longo de todo o ano e não apenas no evento, cobrindo diversas situações que a maioria das apólices exclui, nomeadamente no que diz respeito à utilização de duas rodas.

Apresentado Portugal de Lés-a-Lés 2016

Das curvas algarvias às rectas alentejanas

A Comissão de Mototurismo explicou com detalhe o percurso, começando pelo arranque algarvio, que de Albufeira ruma a Boliqueime e Loulé, subindo depois até Barranco do Velho e posteriormente até Almodôvar. Com as estradas mais reviradas a dar lugar às longas rectas alentejanas, Castro Verde e Aljustrel surgem no mapa, com provável visita ao famoso complexo mineiro, antes de Ferreira do Alentejo. Pelo caminho, vários oásis, solução experimentada com muito sucesso em 2015, proporcionarão agradáveis paragens para repouso, permitindo matar a sede e acalmar o estômago.

Em mais uma estreia absoluta no Lés-a-Lés, a possibilidade de visitar as milenares pinturas das grutas do Escoural marca nova paragem nas pitorescas estradas que levarão a caravana internacional até Montemor-o-Velho e Ponte de Sor. Segue-se mais uma novidade, com a travessia do rio Tejo em Alvega, a jusante da barragem de Belver, em zona que o maior rio ibérico não está represado.

Depois é tempo para a aventura pela Beira Baixa, com estradas cada vez mais curvilíneas, passando pelo Sardoal e Vila de Rei, pela Sertã e Pedrogão Pequeno até ao apontamento de maior aventura do dia: a travessia do rio Zêzere, descendo através de inclinada via empedrada, atravessando numa ponte minúscula antes de subir por um íngreme caminho em terra batida em direcção a Pedrogão Grande. Já com muitos quilómetros, terão ainda os aventureiros de rumar a Góis, Vila Nova de Poiares, Penacova, atravessando o Mondego para entrar na Mata do Bussaco, com passagem obrigatória pela Cruz Alta, antes da chegada ao palanque montado mesmo em frente ao Bussaco Palace Hotel. Um cenário majestoso brinda os participantes depois de 12 horas de condução desde a costa algarvia e antes do merecido e animado jantar ao ar livre no Luso.

Apresentado Portugal de Lés-a-Lés 2016

Da água do Luso à água das Pedras

De acordo com a organização, a segunda tirada será bem diferente nas estradas e na extensão, tendo 330 quilómetros de percurso muito turístico e extremamente rico e variado do ponto de vista paisagístico, com a particularidade de partir junto à famosa fonte da água do Luso para terminar junto à nascente da água das Pedras Salgadas. Curiosidade no dia que a caravana cai atravessar a Serra da Estrela com passagem pelo “stelvio” português entre Sabugueiro e Seia, onde será recebida pelo multi-campeão de Todo-o-Terreno e piloto do Rali Dakar Mário Patrão, famoso cidadão e o mais conhecido motociclista senense. Isto depois da passagem por Tábua e pelas verdejantes estradas junto ao rio Alva, passando pela aldeias de Coja e Avô e antes das indicações do “road-book” guiarem os mototuristas para Oeste.

O Real Mosteiro de Santa Maria, construído no século XII em Vila Garcia, na freguesia de Fornos de Maceira Dão, marca o meio do caminho entre Nelas e o bem recuperado centro histórico de Viseu. Esta paragem visa ajudar na preparação para a dureza serrana que se estende de Castro D’Aire a Terras do Demo, com passagem por Tarouca, Ucanha e Lamego.

A descida para a Régua, através da barragem de Varosa antecipa a subida pelas durienses encostas rumo a Sabrosa, atravessando depois o mineiro vale de Jales, em preparação para a descida até ao coração de Vila Pouca de Aguiar, com promessas de belas estradas até ao famoso parque termal de Pedras Salgadas, onde a imponência do local de chegada é condizente com o percurso da 18.ª edição do Portugal de Lés-a-Lés.

Apresentado Portugal de Lés-a-Lés 2016

Diversão para todos fora-de-estrada

Aproveitando a ocasião, a FMP levantou o véu sobre as edições “off-road” do Portugal de Lés-a-Lés delineadas para motos de duas rodas e para moto quatro e UTV, eventos pensados para os adeptos do todo-o-terreno: a 2.ª edição do Portugal de Lés-a-Lés Off-Road Motos, nos dias 14 a 17 de Setembro, e o 1.º Portugal de Lés-a-Les Off-Road Quad/UTV, agendado de 23 a 26 de Novembro. Estas aventuras maratonistas têm cerca de 1000 quilómetros de extensão, misturando o verdadeiro espírito do Lés-a-Lés à diversão da condução em fora de estrada.

Com apresentação mais detalhada prevista para a Expomoto, no Salão da Batalha, de 22 a 25 de Abril, estas iniciativas contarão com possibilidade de opção por pacote completo, incluindo a inscrição (250 euros) juntamente com transporte dos veículos e alojamento.

No caso das Trail, a expectativa passa por ultrapassar a fasquia dos 200 participantes registados em 2015, já em relação aos quads e UTV, “esta foi a forma de dar resposta aos muitos interessados que ficaram entusiasmados com o projecto mas que, por questões de segurança, não puderam alinhar no Lés-a-Lés Off-Road desenhado a pensar nas motos”, conforme explicou António Manuel Francisco, presidente da Comissão de Mototurismo, que está empenhada em “conseguir boas condições para os participantes, pelo que continuam negociações com hotéis e com várias câmaras municipais, para conseguir pacotes mais atraentes”.

Apresentado Portugal de Lés-a-Lés 2016Apresentado Portugal de Lés-a-Lés 2016Apresentado Portugal de Lés-a-Lés 2016Apresentado Portugal de Lés-a-Lés 2016

Share

Copyright © 2012 LusoSaber - Todos os direitos reservados.